O que deve saber antes de recorrer ao crédito

Contrair financiamento bancário tornou-se uma atitude normal um pouco por todo o mundo e muitos são aqueles que vêm este auxílio monetário como algo corrente de que se deve usufruir. Porém, a verdade é que o crédito é um compromisso sério que deve ser bastante ponderado, pois as implicações de tirar partido deste mecanismo sem que se possuam as condições adequadas podem ser absolutamente devastadoras, o que será fatal num momento em que a economia é desculpa para todos os ataques orçamentais perversos ao nível e qualidade de vida dos portugueses. Nesse sentido, apresentamos-lhe hoje um artigo no qual sublinhamos o que deve saber antes de recorrer ao crédito para que tenha atenção aos aspectos mais importantes que a este dizem respeito. Assim terá em sua posse toda a informação essencial para avaliar correctamente as suas hipóteses de subscrever este préstimo bancário sem que tenha de vir a comprovar da forma...

continuar a ler...

Crédito pessoal: propostas do mercado nacional

As medidas de austeridade impostas pelo Governo através do Plano de Estabilidade e Crescimento (PEC) obrigaram os portugueses a apertar (ainda mais) o cinto e as consequências traduzem-se muitas vezes na necessidade de recorrer a um financiamento extra para suportar as despesas, pois tornou-se mais complicado ultrapassá-las somente com o rendimento mensal. Porém, embora nem sempre o crédito seja a melhor forma de acabar com as dificuldades no que respeita aos gastos, poderá ainda assim representar uma ajuda preciosa em alturas de maior aflição. Quando o dinheiro não chega para liquidar as contas na totalidade, sobretudo nos períodos em que surgem os custos com seguros, impostos e outros montantes com os quais é impossível falhar, um crédito pessoal poderá ser a tábua de salvação pela qual se esperava. Contudo, há que ter em conta que só mesmo em último caso se deve recorrer àquele, porque apesar de deixar alguma margem...

continuar a ler...

Bancos disparam na subida de comissões

As instituições bancárias continuam a restringir o acesso ao crédito para diminuírem os números do malparado, presentemente no recorde de 8.23 por cento no computo geral, mas a partir de Abril os clientes vão sofrer agravamentos em todos os serviços prestados por aquelas entidades, desde o financiamento específico aos cartões de crédito, além das contas correntes, cuja taxação também deverá subir dentro de duas semanas. O próximo aumento de custos irá produzir efeitos directos e imediatos no crédito ao consumo, actualmente o terceiro mais elevado de toda a Zona Euro, uma consequência da crise global e total desequilíbrio das contas públicas, os dois verdadeiros motivos que estão na base do receio dos investidores internacionais, os principais financiadores dos empréstimos a entidades nacionais, nas quais se inclui o Estado e os bancos. A notícia de que as instituições serão livres de impor actualizações aos seus contratos foi divulgada na passada quarta-feira, dia 14,...

continuar a ler...

Escolher a modalidade ideal no crédito pessoal

O mercado do financiamento extra para gastos imediatos, vulgarmente conhecido como crédito, tem sofrido inúmeras alterações nos últimos anos e continua a modificar-se com a evolução da crise económica, bastante sentida em Portugal por motivos que nada têm a ver com os consumidores ou cidadãos nacionais mas sim com a inépcia de sucessivos governos e a irresponsabilidade social de empresas com fins exclusivamente capitalistas que agora se repercutiu em níveis de endividamento recorde. Nesse sentido, torna-se decisivo saber que opções existem para quem mesmo em tempo de dificuldades económicas necessita ou deseja recorrer a crédito, porque embora esta alternativa não seja a mais indicada no período de carência actual, há determinados casos em que as circunstâncias deixam uma reduzida margem de manobra. Assim, estar consciente dos truques e dicas para conseguir os melhores contratos é fundamental, pelo que lhe apresentamos quatro conselhos básicos. – Cuidado com a TAEG exigida em cada situação....

continuar a ler...

Dicas para contratar um crédito pessoal

O crédito está cada vez mais caro e difícil de conseguir, devido à conjuntura actual. Qual é o melhor banco para fazer um crédito pessoal? É muito difícil responder a esta pergunta mas aqui ficam mais uma vez alguns conselhos, fáceis de entender e que poderão representar muito na altura de contratar um crédito pessoal. 1. Aconselhamos sempre os consumidores a avaliarem bem os encargos que vão ter ao subscreverem um crédito pessoal, para que a taxa de esforço do orçamento familiar não ultrapasse os 30% a 40%. 2. Recomendamos também aos consumidores que consultem as condições praticadas no maior número possível de bancos, para poder ver quem é que pratica as taxas mais baixas do mercado. 3. O melhor indicador que deve servir de comparação entre as ofertas dos vários bancos é a TAEG, dado que esta taxa inclui todos os encargos associados ao crédito, incluindo seguros e comissões. Por Taxa Anual Efectiva...

continuar a ler...

Crédito Pessoal Credibom

Nas propostas livres de complicações do crédito pessoal, a Credibom tem disponível um conjunto de soluções dirigidas a diversas finalidades, desde o sector auto às desejadas respostas para dar conta daqueles gastos mais substanciais na área da habitação. É, aliás, esta variedade, que concede à actual alternativa daquela entidade, a sua característica de maior destaque. No financiamento a particulares da Credibom, o Crédito Lar é um dos produtos com as condições mais flexíveis, possuindo um grau de adaptabilidade a considerar. Seja através da modalidade “clássico” ou “0% juros”, o presente auxílio monetário permite que este se adapte a diferentes circunstâncias e possibilidades, tornando-se numa oportunidade de bom nível para quem tenha um orçamento menos abonado, dado que existe a hipótese de criar um plano totalmente personalizado, não se perdendo a totalidade das vantagens oferecidas com o produto. Quem optar pela Solução Lar tem à sua espera um crédito que vai desde os...

continuar a ler...