Crise no crédito a particulares continua

A crise no crédito continua e não há sinais de que o mercado possa mudar. O Banco de Portugal apresentou hoje os dados do crédito, que mostram claramente que os empréstimos dos bancos a clientes particulares e empresas caíram em Janeiro face a Dezembro. De acordo com o Boletim Estatístico do BdP, os empréstimos concedidos pela banca portuguesa às famílias representavam 138,979 mil milhões de euros em Janeiro. No crédito a clientes particulares, em Janeiro, a maior fatia foi para o crédito à habitação, que representou 112,694 mil milhões de euros, seguido do crédito ao consumo, com 14,725 mil milhões de euros. O crédito para outros fins representou 11,560 mil milhões de euros. Assim, comparando, em Janeiro, os empréstimos a clientes particulares caíram 0,48% face a Dezembro, e 2,09% face ao mês homólogo de 2011. O peso dos créditos malparados, que totalizou em Janeiro 4.782 milhões de euros, é...

continuar a ler...

Bancos cortam crédito a particulares

Actualmente, os bancos estão a cortar na concessão de crédito a particulares, qualquer que seja o destino de financiamento. Estes são os dados que se podem verificar no Boletim Estatístico do Banco de Portugal (BdP). O crédito concedido às famílias desceu 327 milhões de euros em Setembro face a Agosto, fixando-se agora nos 140.490 milhões. Em particular, o crédito à habitação registou uma descida de 168 milhões de euros, para 113.755 milhões, o crédito ao consumo baixou 48 milhões para 14.976 milhões de euros e o crédito com outros fins baixou 112 milhões para 11.758 milhões de euros. Em termos homólogos, é também visível o corte na concessão de crédito ao consumo (-3,66%) e para outros fins (-4,3%), além do crédito a empresas (-1,38%). No entanto, já para as empresas, regista-se um aumento do crédito conseguido: mais 267 milhões de euros no mês em causa, totalizando os 116.454 milhões. Devido à crise e...

continuar a ler...

Recorrer a mais credito para pagar outros créditos NÃO É SOLUÇÃO

A crise que se vive actualmente em praticamente todo o mundo ocidental fez com que diversas famílias agravassem os seus problemas financeiros, devido ao desemprego, maior endividamento, etc. Nestas alturas, o apoio que se possa obter de modo a de familiares e amigos é importante, mas há também empresas a operar nesta área que podem resolver os problemas destas famílias. Muito provavelmente já teve que recorer a amigos ou familiares para o pagamento de prestações, pois o dinheiro não chega ao final do mês. Muitas pessoas recorrem também ao crédito numa tentativa de pagar outras prestações em atraso, o que piora ainda mais a situação financeira, levando as famílias à falência. Uma das empresas que trabalha nesta área do aconselhamento financeiro é a Planoviável. Os profissionais da Planoviável analisam de forma rigorosa o perfil financeiro de endividamento das Famílias, o objectivo dos consultores desta empresa é é restituir à sua...

continuar a ler...

O que fazer perante a crise financeira?

Com certeza que já pensou se perante a crise que se instalou nos mercados mundiais, se vale a pena tirar o seu dinheiro do banco. No entanto, a última coisa que se deve fazer perante uma crise financeira como esta é reagir "a quente" e levantar o dinheiro que tem no banco. Uma actuação deste tipo poderia generalizar-se, o que contribuiria para aumentar ainda mais o pânico e agravar a crise sem razão de ser. Por outro lado, em Portugal, não se perspectiva nenhuma situação de falência no sector bancário. A generalidade dos bancos portugueses cumpre os requisitos de solvabilidade impostos pelo Banco de Portugal, o que dá alguma garantia de que a situação da banca portuguesa está sob controlo. Além disso, se no limite um banco português entrar em colapso e não for adquirido por outra instituição, será accionado o Fundo de Garantia de Depósitos, que garante o reembolso...

continuar a ler...