Saiba detectar burlas no crédito pessoal

Actualmente existe uma panóplia de alternativas dedicadas aos empréstimos individuais, tal como nos demais ramos desta categoria, mas por muito bom que isso seja há também o lado negativo da questão, ou seja, as tentativas de falcatruas que eventualmente podem surgir num momento de crise semelhante ao que se vive hoje em dia. Assim, manter o olho aberto para se evitar cair num desses esquemas é fundamental, pelo que frisamos no corrente artigo três dicas para que saiba detectar burlas no crédito pessoal. 1. Não ceda dados pessoais em situações de dúvida Qualquer entidade credível irá solicitar-lhe que faculte informações necessárias à avaliação e validação do contrato, no entanto, tais elementos devem ser fornecidos através de correio ou de forma presencial junto de representantes autorizados das empresas. Nunca exponha dados pessoais via telefone ou internet, sobretudo os mais delicados como o número de identificação fiscal (NIF), número de bilhete de...

continuar a ler...

Crédito ao consumo afunda ainda mais

Os efeitos da crise não param. O crédito ao consumo continua a descer e no primeiro trimestre deste ano desceu 33,2%, atingindo 842 milhões de euros, anunciou a Associação de Instituições de Crédito Especializado (ASFAC). Face ao último trimestre do ano passado a queda foi de 14,4%, sendo que tudo indica que esta tendência negativa deverá continuar até ao final do ano, segundo a comunicado da ASFAC, “Estes indicadores eram já expectáveis, devido à situação económica que o país atravessa”. O consumo das famílias é uma das componentes da economia que está a registar maiores quedas este ano, devido ao impacto das medidas de austeridade nos rendimentos das famílias. A este facto, acresce que as taxas de juro estão mais elevadas para este tipo de créditos, devido à escassez de financiamento. A ASFAC salienta ainda que “todos os tipos de crédito sofreram reduções, destacando-se o crédito clássico e o...

continuar a ler...

Cofidis: um crédito pessoal à sua medida

A Cofidis foi uma das primeiras empresas de crédito pessoal a entrar no mercado Português. Desde 1996, a Cofidis acompanha mais de 300 mil clientes numa relação sustentável e personalizada, conquistando uma posição de referência na venda e gestão de crédito a particulares. A Cofidis assenta o seu negócio exclusivamente nos canais internet e telefone. O Crédito Pessoal Cofidis é uma solução de crédito que disponibiliza entre 5.000€ a 20.000€ que lhe permite realizar os seus projectos com toda a tranquilidade e segurança. Como características deste produto, referência para a TAEG desde 14,1%, para uma TAN 11,90%, TAN consoante o montante escolhido. A Cofidis disponibiliza uma oferta diversificada de prazos, com mensalidades que se adaptam ao seu orçamento e com taxas fixas desde o início ao fim do contrato, fica sempre a saber com o que pode contar e em quanto tempo irá pagar o seu crédito. Sem surpresas e mais...

continuar a ler...

Emprestimos bancários

Os chamados créditos ou empréstimos bancários são hoje concedidos diretamente pelas instituições bancárias, na Internet ou através das muitas companhias financeiras que se proliferaram nos últimos tempos. As condições e as taxas de juro variam consoante o montante pedido, o tipo de crédito, a sua finalidade e o prazo de pagamento. Antes de recorrer a um empréstimo, é aconselhável que “faça contas à vida”. Calcule bem qual o valor que precisa para o fim desejado e quanto vai pesar a prestação no seu orçamento mensal. Definido o valor pretendido, consulte as propostas de várias entidades bancárias. Vá ao seu banco habitual, mas também a outros, incluindo internacionais. Se o montante não for muito elevado, aproveite igualmente para consultar os simuladores online de vários bancos e algumas das entidades financeiras que se tornaram tão populares. Não se esqueça, porém, de confirmar junto do Banco de Portugal a fiabilidade da agência e do crédito...

continuar a ler...

Alerta de Burla: Empresa Cobrança Segura

O clima de sufoco económico vivido em Portugal tem propiciado no país a “explosão” de uma gigantesca vaga de fraudes ligadas à oferta de crédito a particulares. Numa altura em que conseguir este género de empréstimos recorrendo à via (mais) tradicional das instituições bancárias se tornou numa missão herculeana muitos portugueses não encontram outra alternativa e encaram as propostas que lhes cedem aval positivo como uma salvação, acabando na maioria dos casos por caírem no “conto do vigário”. Entre as mais recentes burlas desta natureza em território nacional está o esquema da Cobrança Segura, uma empresa cuja actividade ainda não foi oficialmente encerrada, apesar de as autoridades lusitanas já terem iniciado um processo de averiguações que terá inclusivamente levado à apreensão de parte do material existente na sede daquela entidade localizada na Lourinhã. Esquema bem montado e (aparentemente) legítimo De acordo com os dados públicos disponíveis acerca da Cobrança Segura sabe-se que era...

continuar a ler...

Direitos dos detentores de crédito ao consumidor

Muito se tem falado nos últimos tempos relativamente ao feroz ataque das entidades financeiras aos subscritores dos seus financiamentos mas pouco se disse sobre o mais importante, os direitos que estes consumidores possuem e se encontram consagrados no Decreto-Lei Nº 133/2009 de 2 de Junho. É este documento com força legislativa que regula o regime de crédito aos consumidores e no qual se podem ler as directrizes normativas que se aplicam ao crédito pessoal, crédito automóvel, cartão de crédito e facilidade a descoberto. Assim, de acordo com o nosso compromisso enquanto site informativo subordinado aos temas de financiamento, sublinhamos nos próximos três subtextos os direitos dos detentores de crédito, informações que requerem a leitura complementar de um artigo subsequente, os deveres dos detentores de crédito. Direito à informação – O subscritor tem acesso a todos os dados sobre o crédito escolhido, incluindo as actualizações operadas e condições alteradas. Esse direito mantém-se antes, durante...

continuar a ler...