Plano de Acção para o Risco de Incumprimento

Hoje foram apresentadas pelo Governo, um conjunto de medidas legislativas, a implementar até ao Verão, para apoiar o consumidor e para reduzir os atuais níveis de endividamento das famílias. Estas medidas consubstanciam-se na criação de um novo regime jurídico que regulará, de forma integrada, a gestão do risco e da ocorrência de incumprimento de contratos de crédito celebrados com os consumidores, de modo a prevenir a sua materialidade e, quando tal não seja possível, a estimular e a viabilizar a recuperação extrajudicial dos créditos. Em declarações à agência Lusa, Almeida Henriques, o secretário de Estado Adjunto e Desenvolvimento Regional, disse que estas medidas "levam a uma maior responsabilização dos bancos, mas também os protegem". "Os bancos passarão a estar obrigados a avisar o consumidor sempre que este entre numa situação de sobreendividamento e, ao mesmo tempo, a apresentarem um plano de recuperação em consonância com esse mesmo consumidor", sustentou. As...

continuar a ler...

Queixas sobre créditos

Se tem alguma reclamação a fazer do seu banco, não deixe que a preguiça leve a melhor de si. Queixe-se! Desde dúvidas sobre créditos pessoais, comissões, problemas com o cartão de crédito ou o atendimento: são várias as razões que podem, um dia, opor-nos ao banco com o qual fazemos as nossas transacções. Comece por expor os seus argumentos junto do balcão, de preferência, aquele onde tiver conta. Poderá fazê-lo oralmente ou por escrito, apresentando os meios de prova de que dispuser. Uma queixa deve conter sempre o motivo, e a entidade reclamada/visada, bem como uma descrição sumária, mas suficiente, para entender o contexto. Apesar de estar em posição frágil, o consumidor tem meios para fazer valer os seus direitos em caso de conflito. Saiba quais, como e onde. - Livro de reclamações, vá a um balcão e peça-o. Apenas tem que identificar a instituição alvo da queixa, os seus dados e os...

continuar a ler...

Até os bancos pedem crédito

O Jornal de negócios na sua versão online, indica que um total de 419 instituições financeiras da Europa recorreu hoje ao Banco Central Europeu (BCE) em busca de financiamento, numa altura em que o mercado de crédito está congelado. A instituição presidida por Jean-Claude Trichet cedeu 190 mil milhões de euros. Do total de 228 mil milhões de euros solicitados ao BCE, a autoridade monetária da Zona Euro entregou 190 mil milhões, em empréstimos de sete dias, aos 419 bancos que apresentaram propostas no leilão de hoje. Cerca de 15% dos empréstimos foram concedidos à taxa marginal de 4,65%. Em média, os bancos estão a pagar 4,96%. O recurso ao BCE para financiamento está a crescer cada vez mais. Os bancos da Europa estão a ter dificuldades em conseguir empréstimos nos mercados de crédito, isto porque as instituições que, no meio desta crise, têm fundos suficientes para emprestar não o fazem por...

continuar a ler...