Cetelem ensina conceitos financeiros a jovens

São cerca de 30 as escolas do ensino secundário da Grande Lisboa e Grande Porto que aceitaram o desafio do Cetelem. Nestas escolas decorrerão sessões de literacia financeira: no total, perto de três mil alunos irão receber formação sobre conceitos como rendimento, consumo, crédito e poupança. Estas acções decorrerão até maio de 2012. Esta iniciativa é promovida de forma gratuita pela equipa do Provedor do Cliente Cetelem. Uma iniciativa que, pelo segundo ano consecutivo, "pretende dotar os jovens alunos de conhecimentos que lhes possam ser úteis na gestão do dinheiro e na tomada de decisões no consumo". A exemplo da última edição, a adesão das escolas a estas sessões superou as expectativas da empresa que, consciente de que "a educação financeira é um tema cujos conteúdos não são alvo de inclusão nos planos curriculares atuais", considera que a literacia financeira dos jovens "é uma preocupação que deve ser partilhada por...

continuar a ler...

Desvantagens dos empréstimos rápidos

Os dias em que o crédito podia ser facilmente conseguido acabaram e não existem indicadores que apontem em sentido contrário, pelo menos para um futuro próximo. Houve o uso e abuso deste mecanismo ao longo dos últimos anos, postura essa que culminou no espectável recuo da concessão desenfreada. No entanto, as pessoas continuam a necessitar de certos bens que não têm oportunidade de pagar no acto da compra, mantendo-se assim a procura por aquele género de produtos financeiros e outros semelhantes. Face à presente e dura realidade de escassa aceitação de novos créditos os clientes vêem-se obrigados a enveredar por alternativas, nomeadamente os populares “financiamentos na hora”, um dos serviços desta natureza que mais tem crescido desde o início da chamada crise das dívidas soberanas. Contudo, a sua (aparente) simplicidade “oculta” determinados aspectos que merecem um olhar atento e muitíssimo pormenorizado, razão pela qual os reunimos em três tópicos que representam,...

continuar a ler...

Usufrua das vantagens dos empréstimos rápidos

Em altura de crise muitas pessoas desesperam por uma solução que ajude a resolver os problemas financeiros mais urgentes sem que sejam colocados grandes obstáculos. Foi desta necessidade que emergiu um novo serviço de créditos, os empréstimos rápidos, a última modalidade de concessão monetária e uma das raríssimas excepções que “foge” ao estancamento a que se assiste actualmente no ramo bancário. No entanto, o facto de este produto financeiro ainda ser bastante recente leva a que nem sempre exista um conhecimento verdadeiro do que implica e quais as diferenças face a outras alternativas existentes no mercado. Assim, no presente artigo serão apresentadas as principais vantagens dos empréstimos rápidos, uma leitura que deve ser completada de seguida com um olhar atento sobre o lado oposto da questão, as desvantagens que este género financiamentos acarreta. 1. Uma das mais-valias fundamentais dos empréstimos rápidos é a reduzida burocracia a que estão sujeitos, pois ao invés...

continuar a ler...

Emprestimos bancários

Os chamados créditos ou empréstimos bancários são hoje concedidos diretamente pelas instituições bancárias, na Internet ou através das muitas companhias financeiras que se proliferaram nos últimos tempos. As condições e as taxas de juro variam consoante o montante pedido, o tipo de crédito, a sua finalidade e o prazo de pagamento. Antes de recorrer a um empréstimo, é aconselhável que “faça contas à vida”. Calcule bem qual o valor que precisa para o fim desejado e quanto vai pesar a prestação no seu orçamento mensal. Definido o valor pretendido, consulte as propostas de várias entidades bancárias. Vá ao seu banco habitual, mas também a outros, incluindo internacionais. Se o montante não for muito elevado, aproveite igualmente para consultar os simuladores online de vários bancos e algumas das entidades financeiras que se tornaram tão populares. Não se esqueça, porém, de confirmar junto do Banco de Portugal a fiabilidade da agência e do crédito...

continuar a ler...

Alerta de Burla: Empresa Cobrança Segura

O clima de sufoco económico vivido em Portugal tem propiciado no país a “explosão” de uma gigantesca vaga de fraudes ligadas à oferta de crédito a particulares. Numa altura em que conseguir este género de empréstimos recorrendo à via (mais) tradicional das instituições bancárias se tornou numa missão herculeana muitos portugueses não encontram outra alternativa e encaram as propostas que lhes cedem aval positivo como uma salvação, acabando na maioria dos casos por caírem no “conto do vigário”. Entre as mais recentes burlas desta natureza em território nacional está o esquema da Cobrança Segura, uma empresa cuja actividade ainda não foi oficialmente encerrada, apesar de as autoridades lusitanas já terem iniciado um processo de averiguações que terá inclusivamente levado à apreensão de parte do material existente na sede daquela entidade localizada na Lourinhã. Esquema bem montado e (aparentemente) legítimo De acordo com os dados públicos disponíveis acerca da Cobrança Segura sabe-se que era...

continuar a ler...

Crédito universitário

Quem pretende continuar os seus estudos e tirar um curso superior, muitas vezes esbarra em dificuldades financeiras. Contudo existe a possibilidade de os estudantes recorrerem ao crédito para financiar os seus estudos. Sem demoras, sem necessidade de garantias e quase sem burocracia. A solução chama-se “crédito universitário” e está ao alcance de muitos. Saiba como funciona e o que fazer. O que é o financiamento universitário? O crédito universitário tem, como o nome indica, a finalidade de financiar, na totalidade ou em parte, os estudos dos mais jovens. Dirige-se a estudantes que pretendam completar o Ensino Superior (Licenciatura, Pós-Graduação, Mestrado e Doutoramento), efectuar uma especialização tecnológica ou participar no programa Erasmus. Trata-se, na realidade, de uma tipologia de crédito pessoal com garantia mútua que não solicita apresentação de rendimentos, garantias patrimoniais nem fiadores. O montante pedido é disponibilizado em tranches mensais, como se uma mesada se tratasse. A iniciativa foi aprovada em Setembro de 2007,...

continuar a ler...