Dicas essenciais para simulações de crédito

Falta de dinheiro é do que mais se fala hoje em dia. Em consequência, as eventuais formas de ultrapassar esse obstáculo também surgem na conversa, sendo comum ouvir o financiamento bancário como uma alternativa incontornável. Contudo, a ideia é errada e pode levar a dificuldades para além das que já se possuía antes de enveredar por essa opção, pelo que devem ser respeitados alguns cuidados elementares.

Um dos conselhos primordiais a ter em conta diz respeito à simulação de crédito, ainda pouco utilizado em Portugal, apesar de todas as vantagens que podem ser conseguidas pelos clientes. Nesse sentido, deixamos em seguida três dicas para que você mesmo possa concretizar essa tarefa de utilidade comprovada e tenha a oportunidade dela retirar o máximo proveito.

1. Atenção às taxas cobradas, pois é aí que reside a margem de ganho das entidades financiadoras. É precisamente esta condição dos acordos que mais tem aumentado para os requerentes, embora o mercado nacional não esteja tão mal quanto se quer fazer parecer junto da opinião pública. O que está a acontecer é a utilização da suposta crise para que não haja revolta pelos valores imputados, quando na verdade não é justificável a quantia exigida na esmagadora maioria dos casos. Por isso, avalie muito bem as taxas que terá de pagar ao assinar o contrato final;

2. Cuidado com os prazos de liquidação. Há actualmente diversas empresas a anunciarem os longos planos de pagamento de crédito como mais-valias, o que não passa de um mero golpe de publicidade. Quanto maior o tempo que se necessita para terminar o pagamento do financiamento, maior será o montante final, algo que é óptimo para quem fornece o serviço (porque arrecada importâncias superiores) mas prejudicial para aqueles que adquirem o crédito, dado que a quantia em dívida aumentará em proporção inversa (agravada) à do alongamento do prazo inicial;

3. Avalie todos os critérios da simulação, isto é, ao realizá-la, certifique-se de que todos os campos estão preenchidos e se encontram esclarecidas todas as questões. Leia atentamente as “letras pequeninas” que por norma são colocadas no fundo da caixa do simulador, pois há sempre aspectos que escapam devido ao facto de terem sido relegados para este plano secundário. Cabe-lhe a si assegurar que tal situação não lhe acontece a si, pois os resultados obtidos podem satisfazê-lo e levarem-no a subscrever o financiamento, quando havia detalhes no simulador aos quais não prestou o devido cuidado.

Deixe uma resposta